O QUE É?

É um espaço de convivência criado para desenvolver a convivência fraterna, auto evangelização e trabalho no bem voltado para trabalhadores e frequentadores da Feetins.

Neste grupo devem ser estimuladas as relações de confiança, afetividade, respeito, solidariedade e fraternidade.

OBJETIVO

Propiciar espaços relacionais para construção de convivência, por meio de atividades práticas e exercícios de reflexão à luz dos ensinos espíritas.

O QUE TEM NESSE GRUPO?

Espaço para aprender e vivenciar o exercício da verdadeira caridade ensinada por Jesus.

Espaço de reflexão de textos ou obras espíritas que proporcionam a auto  iluminação;

Haverá espaço para fazer e receber doações;

Espaço de atividades que atenda as demandas dos eventos  da Feetins;

Espaço de planejar e realizar atividades sociais, visitas fraternas a pessoas e instituições, bazar, etc;

Espaço para desenvolver virtudes, cultivar a fraternidade e a solidariedade;

Espaço para ensinar e aprender algumas habilidades;

Espaço para conviver, amar e servir.

QUANDO E ONDE FUNCIONARÁ?

Todas as quartas-feiras, das 16 às 18h, na Feetins.

Esse grupo foi criado em setembro de 2017.

QUEM PODE PARTICIPAR?

Trabalhadores que já realizam algum trabalho social nas casas espíritas, frequentadores interessados em começar a trabalhar; demais pessoas interessadas em participar de um espaço de convivência e trabalho no bem.

QUEM COORDENA ESSE TRABALHO?

Equipe da Área da APSE – Assistência e Promoção Social Espírita


Observações:

Essa proposta de formação de atividades grupais, esta inserida no Plano de Ação do Documento de Orientação à Assistência e Promoção Social Espírita da FEB.

Segundo o documento de orientação, o propósito destes grupos é propiciar espaços relacionais para a construção de momentos de convivência fraterna  .

Poderão ser formados grupos com trabalhadores e frequentadores da casa Espírita, observando o interesse dos participantes; o conhecimento e habilidades dos trabalhadores da instituição e a possibilidade do centro espírita..

Exemplos de grupos que podem ser criados:

Grupos de estudo e convivência;

Grupos de atividades, convivência e reflexão;

Grupos de orientação, encaminhamento e convivência;

Grupos de famílias, convivência e reflexão;

Exemplo de atividades grupais:


  • Atividades artísticas (música, teatro, narração de histórias, artes manuais, escultura, pintura, desenho).
  • Atividades de produção (trabalho com sucata, argila, macramê, massa de modelar, madeira, costura, bordado, culinária).
  • Atividades esportivas, lúdicas e culturais.

·         Grupo de orientação para a gestação e os cuidados com os recém-nascidos;

·         Grupo de orientação para o trabalho, por meio de encaminhamento a cursos profissionalizantes diversos;

·         Grupo de orientação para o acesso aos direitos sociais, mediante interlocução e articulação com o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e demais políticas públicas;

·         Grupo de encaminhamentos aos serviços da comunidade: atendimento médico-hospitalar, serviços jurídicos, creches, serviços de regularização de documentos etc.

Estes grupos executarão trabalhos práticos planejados segundo os interesses dos seus participantes.

Quem se inscrever no trabalho assistencial, independente da idade (adulto, adolescente ou criança), poderá ser incentivado a escolher um grupo segundo o seu interesse na atividade ou no gênero de atividades que será ali desenvolvido.

Para facilitar o processo de convivência e o exercício de reflexão, esses grupos não devem ser constituídos por muitos participantes. A experiência demonstra ser mais produtiva a formação de grupos de 15 frequentadores, aproximadamente.

Durante a realização das atividades serão tratados assuntos que digam respeito à problemática dos integrantes do grupo. Esses assuntos formarão o conjunto de temas geradores de debates e reflexões e serão selecionados pelo próprio grupo à medida que seus integrantes se conheçam e se sintam à vontade para externar seus problemas e preocupações

Assim, alguns conteúdos de vivência cristã e filosofia espírita deverão ser trazidos à discussão dos temas geradores, sempre sob o enfoque do diálogo interreligioso e filosófico, sem imposições, com incentivo e total respeito à manifestação das crenças e opiniões de todos os integrantes do grupo.

(Orientação à assistência e promoção social espírita/ organizado pela equipe da Coordenação nacional da área de Assistência e Promoção Social Espírita – CFN/FEB, 2018)

Visitas: 2

Deixe uma resposta