PROJETO DIÁLOGO AO CORAÇÃO​

1.   INTRODUÇÃO

A cada instante que vamos vivenciando na atualidade percebemos, na prática, o que antigos profetas classificaram, em suas épocas, como sendo o “fim” do mundo e, respeitando antigas tradições, o que a Doutrina Espírita nos revela, com muito mais propriedade, não como sendo o fim do Planeta Terra, imaginado por antigas profecias, mas sim o fim de uma fase, fase essa revelada pelos enviados de Jesus a Kardec, conhecida como de Provas e Expiações e iniciando a fase de Regeneração. Assim sendo, a Terra deixará de ser planeta de provas e expiações e passará a categoria de mundo regenador.

Porém, a cada fase de transição, já que esta não é a primeira vez que isso ocorre em nosso orbe, pois vivenciamos outras em outras épocas, e por estarmos apoiados nestes fatos históricos, sabemos que nestes momentos a mente humana fica aturdida pelas dificuldades que se apresentam como forma de purificação, ou ainda, como eventos naturais que filtram e retiram de nossos espíritos, defeitos adquiridos na roda do tempo.

Poucos são aqueles que conseguem atravessar essas agruras confiantes e serenos, a maioria dos habitantes terrestres, principalmente nesses momentos, caem em perturbações. Neste sentido, a Doutrina Espírita vem ser, na prática, o que nos revelaram os imortais que Ela o é, “O Consolador Prometido” e, através do Movimento Espírita, responsável por difundir o Espiritismo por todos os meios legais e conscienciais, esclarecer e consolar dando aos corações sofridos a confiança, a esperança e a fé necessárias para atravessarmos, com resignação, as dificuldades que se apresentam no caminho.

O Espiritismo é trazido a lume, dando início a fase atual de transição, para relembrar à humanidade os ensinamentos do Cristo e dar apoio perante as dificuldades que passamos, caracterizadas por tanta insensatez praticada, que nada mais são, o reflexo das escolhas feitas, durante a caminhada evolutiva.

No estado atual da humanidade, observamos a beligerância nos atos e atitudes das pessoas, negociação nas relações sentimentais, o esquecimento da prática do perdão e da visão altruísta do amor, que nos parece advir do sufocamento da ideia que somos, como humanidade, ser coletivo formado por individualidades interdependentes, mas não só  isso, interdependentes seres humanos e natureza/planeta como um todo.

Somente a Doutrina Espírita, com o devido respeito as outras denominações religiosas, é capaz de nos fornecer o consolo necessário, o esclarecimento do que motivou as dores atuais e a orientação capaz de nos fortalecer na caminhada.

Como Doutrina consoladora, o Espiritismo está de braços dados com a ciência desde sua codificação. Como o mestre lionês nos ensinou, existem duas forças que regem o universo: os elementos espiritual e material. Será preciso que o homem compreenda suas relações de entrelaçamento, respeite e entenda Suas leis. De posse do conhecimento revelado pelos espíritos, a Doutrina Espírita possui a chave esclarecedora dos fenômenos até então inexplicáveis. Conhecereis a Verdade e ela vos libertará – mais uma vez o Espiritismo assume o seu papel de doutrina consoladora.

1.1 Fundamentação Doutrinária

Em O Livro dos Espíritos, na Parte Terceira, Das Leis Morais, Capítulo VII – A Lei de Sociedade, item: Necessidade da Vida Social, Allan Kardec indaga aos imortais sobre a importância de vivermos em sociedade, segue:

  1. A vida social está em a Natureza?

Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Não lhe deu inutilmente a palavra e todas as outras faculdades necessárias à vida de relação.”

 É contrário à lei da Natureza o insulamento absoluto?

“Sem dúvida, pois que por instinto os homens buscam a sociedade e todos devem concorrer para o progresso, auxiliando-se mutuamente.” 

  1. Procurando a sociedade, não fará o homem mais do que obedecer a um sentimento pessoal, ou há nesse sentimento algum providencial objetivo de ordem mais geral?

“O homem tem que progredir. Insulado, não lhe é isso possível, por não dispor de todas as faculdades. Falta-lhe o contacto com os outros homens. No insulamento, ele se embrutece e estiola.” 

Homem nenhum possui faculdades completas. Mediante a união social é que elas umas às outras se completam, para lhe assegurarem o bem-estar e o progresso. Por isso é que, precisando uns dos outros, os homens foram feitos para viver em sociedade e não insulados.

1.2 Objetivo Geral

Difundir e divulgar a Doutrina Espírita, através de uma atividade semanal, procurando consolar, esclarecer e orientar. Dar suporte emocional/espiritual a quem chaga a casa espírita em dificuldade emocional, sem ter como meta a “cura” emocional e/ou material de pessoas, visto que isso não nos cabe. Por fim, incentivar o autoconhecimento, que é habilidade necessária para a busca do que Joanna De Ângelis chama de a “Conquista Da Luz Libertadora”.

1.3 Objetivos Específicos

Apresentar, informar e discutir os conceitos e descrições acerca do momento atual que vivemos, baseado na literatura, principalmente, Espírita.

Propiciar a reflexão em conjunto como ferramenta de aprendizado do método de autodescobrimento.

O ato de refletir em conjunto sobre os conceitos e descrições feitas na literatura em questão, poderá levar ao autoconhecimento.

2.  PÚBLICO ALVO

Jovens e adultos que desejam entender sua existência atual e encontrar o seu “eu” interior, com ou sem conhecimento da Doutrina Espírita e sem pré-requisitos para participação

3.  METODOLOGIA

 O formato é do tipo seminário, com participação ativa dos presentes, que podemos sequenciá-lo da seguinte forma:

– Primeira fase: apresentação, informações e prece feitas por um dirigente do seminário;

– Segunda fase: exposição do tema feito por facilitador previamente escolhido, no tempo mínimo de apresentação de 20 minutos e tempo máximo de apresentação de 30 minutos;

–  Terceira fase: debate com os presentes sobre o tema propostos, buscando a participação ativa dos presentes conduzidos pelo dirigente e facilitador;

– Quarta fase: informes finais, e prece de encerramento.

Os seminários de debates serão todos os domingos, com início às 17h e encerramento previsto para às 18h, podendo haver alteração de tempo se avaliações mostrarem essa necessidade.

A cada seminário muda-se o facilitador, porém nada impede que se repita o mesmo facilitador, em momento oportuno, caso haja interesse em se aprofundar o assunto tratado, solicitado pelos presentes.

Tema e facilitador são escolhidos com antecedência e divulgados pelos meios possíveis em todos os canais de divulgação que a FEETINS possui.

Os temas serão escolhidos através de pesquisas onde os frequentadores e participantes organizados da FEETINS, bem como simpatizantes colaboram nesta escolha. Tanto o formulário de pesquisa de tema quanto a forma de aplicação deste formulário de pesquisa serão por via eletrônica, utilizando as mídias sociais da FEETINS bem como mídias sociais de pessoas que, por seu livre interesse e sem nenhum compromisso, assim procedam.

Existe a possibilidade de transmissão online que, quando ocorrer, serão via mídias sociais da FEETINS, exclusivamente, podendo ser compartilhada por quem assim, por sua livre e espontânea vontade, desejar.

4.  CONCLUSÃO

Quando o indivíduo se conhece bem, faz melhor uso das suas faculdades. Para as pessoas que desejam trabalhar em prol do outro e de si mesmo, o autoconhecimento é habilidade necessária, em todas as suas possibilidades.

E, com a possibilidade de colaborarmos na transformação para melhor do ser, dentro de nossas capacidades, possibilidades e contando com o apoio, que nunca nos faltou, da espiritualidade superior, é que apresentamos o presente projeto que não te a presunção de mudar as pessoas para melhor, mas sim, darmos nossa singela contribuição para que cada um, de per si, consiga encontrar seu caminho.

Visitas: 3
Próximo postRead more articles

Deixe uma resposta